24 de julho de 2024
AgronegócioNegóciosÚltimas

Com a suspensão das exportações de carne bovina do Brasil, frigoríficos localizados em Goiás estão dando férias coletivas aos seus funcionários.

Frigoríficos localizados em Senador Canedo, Mozarlândia e Palmeiras de Goiás concederam férias coletivas aos funcionários depois da suspensão temporária das exportações de carne bovina do Brasil para a China, Tailândia, Irã e Jordânia, decorrente de um caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina em Marabá, no Pará. As empresas envolvidas são a JBS, em Senador Canedo e Mozarlândia, e a Minerva Foods, em Palmeiras de Goiás. Embora o Ministério da Agricultura e Pecuária tenha afirmado que não há risco para o consumidor brasileiro, a suspensão afetou consideravelmente as vendas, já que a China é a maior compradora da carne bovina brasileira, correspondendo a 57% das exportações. A Minerva espera que as vendas para a China sejam retomadas o mais breve possível. A quantidade de funcionários que foram concedidos férias coletivas não foi divulgada. A JBS não quis comentar o caso.

Segundo o ministro Carlos Fávaro, não há risco para o consumidor brasileiro, uma vez que a Vigilância Sanitária do Ministério da Agricultura monitora a qualidade da carne consumida no país de forma eficaz. “O sistema é eficiente e o consumidor pode ter certeza de que não há risco de contaminação”, afirmou o ministro. Nos anos de 2019 e 2021, o Brasil registrou casos de vaca louca em Mato Grosso e Minas Gerais, o que gerou embargos temporários nas exportações de carne bovina para a China. Em janeiro de 2022, as vendas para a China correspondiam a 57% do total de exportações brasileiras de carne bovina, com receita de US$ 485,3 milhões e 100.164 toneladas exportadas, representando um crescimento de 7% na receita e 17% no volume em relação ao mesmo mês do ano anterior.