12 de julho de 2024
Saúde

Doutores especializados no estudo e tratamento da doença de Alzheimer expressaram seus comentários a respeito de um medicamento que aparenta reduzir o declínio cognitivo em pacientes com a doença.

Na quarta-feira (28), especialistas foram informados sobre um novo medicamento para tratar o Alzheimer, que foi capaz de retardar o declínio cognitivo – um feito inédito na área. O medicamento, chamado lecanemab, passou por um ensaio clínico com quase 1.800 participantes e mostrou uma redução de 27% no declínio cognitivo ao longo de 18 meses, de acordo com os resultados preliminares divulgados pelos fabricantes Biogen e Eisai.

“Este é o primeiro fármaco que demonstrou que não apenas elimina o acúmulo de uma proteína chamada amiloide no cérebro, mas também tem um impacto pequeno, mas estatisticamente significativo, no declínio cognitivo em pessoas com doença em estágio inicial”, disse Susan Kohlhaas, da Alzheimer’s UK, uma organização sediada no Reino Unido especializada em pesquisa sobre demência.

Os produtores Biogen e Eisai anunciaram que o lecanemab, um novo medicamento para o tratamento do Alzheimer, apresentou resultados promissores em um ensaio clínico com quase 1.800 pessoas. De acordo com dados preliminares, o medicamento reduziu o declínio cognitivo em 27% ao longo de um período de 18 meses.