20 de julho de 2024
AgronegócioNegóciosÚltimas

A Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) emitiu um alerta aos produtores sobre o período de transplantio de mudas de tomate.

Os produtores de tomate industrial devem estar atentos às recomendações da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) para a adoção de boas práticas culturais e medidas fitossanitárias, visando aumentar a produção e a produtividade. A previsão é de que a área plantada deste ano supere a do ano anterior, que foi em torno de 11 mil hectares, o que também contribuirá para o aumento da produção e da oferta de matéria-prima para as indústrias.

PERÍODO DE TRANSPLANTIO DE MUDAS DE TOMATE

A Agrodefesa estabeleceu um calendário para o transplantio de mudas de tomate destinadas à indústria, que deve ser concluído até 30 de junho, exceto no município de Morrinhos, que tem calendários diferenciados. Essa medida é para evitar a presença de mosca-branca nas áreas de cultivo durante novembro a janeiro. Após o transplantio, os produtores devem seguir as medidas legais e fitossanitárias para a cultura do tomate. A expectativa é que, com essas práticas, a produção e a produtividade de tomate industrial aumentem este ano em comparação com 2022.

IMPORTÂNCIA

Daniela Rézio e Silva, gerente de Sanidade Vegetal, destaca que todas as medidas são importantes para assegurar a produção, a produtividade e a qualidade do tomate industrial. “Essa cultura é muito relevante para Goiás, que lidera a produção nacional, gerando milhares de empregos no campo e nas unidades de processamento industrial, contribuindo significativamente para a economia do estado”, declara ela.

No momento, há seis indústrias de processamento de tomate registradas no Sistema de Defesa Agropecuária de Goiás (Sidago), situadas em Cristalina, Goiânia, Goianésia, Morrinhos (duas) e Nerópolis.

Há também seis viveiros de produção de mudas registrados, localizados em Abadia de Goiás, Hidrolândia, Vicentinópolis, Cristalina e Morrinhos.

MEDIDAS LEGAIS E FITOSSANITÁRIAS

  • Realizar cadastro das propriedades e das áreas produtoras de tomate a cada novo plantio até, no máximo, 15 dias após o início do transplantio;
  • Fazer o cadastro em meio eletrônico no Sidago, disponível para acesso no site da Agrodefesa;
  • Eliminar restos culturais do tomateiro até 10 dias após a colheita de cada talhão;
  • Destruir plantas voluntárias de tomate imediatamente após o surgimento.
Colheita de tomate - Agrodefesa alerta para período de transplantio de mudas de tomate