22 de julho de 2024
NegóciosNotíciasÚltimas

A renda média em Goiás alcançou um marco importante ao superar a média nacional divulgada pelo IBGE)

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar Contínua (PNAD Contínua), divulgada pelo IBGE, a renda média em Goiás alcançou um marco significativo ao superar a média nacional pela primeira vez em 11 anos.

No primeiro trimestre de 2023, o Rendimento Médio Habitual de todos os trabalhos em Goiás foi de R$ 2.898, o que representa estabilidade em relação ao trimestre anterior (R$ 2.820), mas um aumento de 12,7% em comparação ao mesmo período do ano anterior (R$ 2.572).

Essa conquista histórica é reforçada pelo fato de o rendimento médio real do estado ter ultrapassado a média nacional, que foi de R$ 2.880 no primeiro trimestre de 2023, algo inédito desde o início da série histórica em 2012.

A pesquisa também revela que a taxa de desocupação em Goiás se manteve estável em 6,7% no primeiro trimestre de 2023, o que representa o quarto trimestre consecutivo abaixo do patamar de 7%.

Ao comentar sobre o bom desempenho da renda média dos goianos, o governador Ronaldo Caiado atribui esse resultado às ações realizadas pelo Estado.

Ele destaca a criação de programas sociais, investimentos na educação básica e qualificação profissional, que contribuíram para o desenvolvimento de um ciclo produtivo promissor e para a obtenção de resultados cada vez melhores. O objetivo principal sempre foi fornecer apoio e sustentação aos cidadãos de Goiás que foram afetados economicamente e socialmente por momentos de crise, como o vivido devido à pandemia da Covid-19.

Em relação ao emprego, a taxa de informalidade teve uma leve variação, passando de 36,7% no quarto trimestre de 2022 para 37,1% no primeiro trimestre de 2023, considerada estatisticamente estável. Essa foi a menor taxa para um primeiro trimestre desde o início da série histórica em 2016.

O secretário de Estado de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Joel de Sant’Anna Braga Filho, avalia esses dados como excelentes e resultado do trabalho realizado pelo Governo do Estado nos últimos anos.

Mesmo diante da pandemia, Goiás tem se destacado em diversos setores, como serviços e agropecuária, liderando rankings e frequentemente ultrapassando a média nacional.

No que diz respeito ao emprego formal, houve estabilidade na comparação entre o quarto trimestre de 2022 e o primeiro trimestre de 2023. Estima-se que o setor privado empregue cerca de 1,4 milhão de trabalhadores.

Em relação ao primeiro trimestre de 2022, o emprego formal registrou um crescimento de 9,8%, o que representa a criação de 209 mil novos postos formais no primeiro trimestre de 2023. Desses novos postos, 150 mil estão no setor privado.

Goiás tem renda média acima da nacional pela 1ª vez em 11 anos e a menor taxa de informalidade desde 2016 (Foto: Reprodução internet)