20 de julho de 2024
MulherSaúde

Foram realizados 465 mil atendimentos para assistência ao público feminino.

Assistência ao público feminino alcança 465 mil atendimentos

Ao longo de quatro anos, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) prestou 465 mil serviços de saúde para mulheres, incluindo atendimentos ambulatoriais, consultas ginecológicas e partos. Com unidades em todas as cinco macrorregiões, a atual administração fortaleceu a regionalização da saúde, oferecendo assistência às mulheres através da rede de policlínicas. Todas as seis Policlínicas Estaduais, localizadas nos municípios de Posse, Goianésia, Quirinópolis, São Luiz de Montes Belos, Formosa e Goiás, realizam pré-natal de alto risco, com exames de imagens e laboratoriais.

A atenção primária também foi aprimorada com a parceria entre a SES-GO e os municípios, capacitando equipes e oferecendo contrapartidas. Após a redução dos casos de Covid-19, o Estado iniciou a reestruturação da rede materno-infantil, integrando diferentes níveis de atendimento e fortalecendo a regionalização da saúde com a participação dos gestores municipais.

Os atendimentos ambulatoriais e as consultas ginecológicas beneficiaram 64.592 mulheres em áreas rurais. Nos hospitais estaduais, entre 2019 e 2023, foram realizados 8.498 partos cesáreos e normais.

PARTURIENTES

No ano passado, o Hospital Estadual de Luziânia (HEL) inaugurou seu centro obstétrico para atender às parturientes da cidade e região, e conseguiu atingir o número de 582 nascimentos. Além disso, a rede estadual também é referência em partos de alto risco em unidades como o Hospital Estadual do Centro Norte (HCN) em Uruaçu. Neste mês de março, em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, é importante destacar o trabalho do Governo de Goiás na prevenção das doenças que mais matam as mulheres, como o câncer. Entre 2019 e 2022, foram realizadas 333.182 mamografias e, com a instalação de policlínicas, o governo levou exames de mamografia e citopatológicos para as mulheres goianas através das Carretas da Prevenção.

ATENDIMENTO PRIMÁRIO

Paula dos Santos Pereira, superintendente de Políticas e Atenção Integral à Saúde (Spais) da SES-GO, ressalta a importância das iniciativas no atendimento primário nas unidades básicas de saúde.

“Ao trabalhar em conjunto com os 246 municípios, o Estado oferece cursos de atualização para as equipes de atenção primária, o que melhora a qualidade e a padronização do atendimento. Nas unidades básicas de saúde, as mulheres recebem orientações sobre a prevenção de doenças e têm acesso a atendimentos básicos relacionados ao pré-natal, hanseníase, Covid-19, viroses, dengue, tuberculose e diabetes, entre outras doenças”. As mulheres goianas também têm à disposição o Dispositivo Intrauterino (DIU), método contraceptivo disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) desde 1984, com a criação do Programa de Atenção à Saúde da Mulher (PAISM). Em Goiás, desde 2019, foram realizadas 58.238 inserções em mulheres em todo o estado.

Assistência ao público feminino alcança 465 mil atendimentos