24 de julho de 2024
SaúdeÚltimas

O chamamento emergencial do hospital Hugo foi cancelado pela Secretaria de Saúde.

Após parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE-GO), a Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO) decidiu cancelar o chamamento público emergencial para a gestão do Hospital Estadual de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro da Cruz (Hugo). O Instituto Sócrates Guanaes (ISG), selecionado em primeiro lugar, apresentou pendências na fase de comprovação de documentação, com contas reprovadas na Bahia. A justificativa de que não houve multas ou penalidades aplicadas pelo Tribunal de Contas daquele estado não foi aceita, pois a lei atual veda claramente a OSS com contas reprovadas em tribunais ou mesmo seus dirigentes, de constituir novos contratos com a administração pública. Como o segundo colocado não atendeu requisito obrigatório de experiência comprovada de três anos na gestão de hospitais com mais de 200 leitos, a PGE concedeu aval para que a SES mantenha a atual gestora do Hugo, Instituto CEM, por 180 dias através de um Termo Aditivo. Isso garante a continuidade da assistência, a segurança dos pacientes e colaboradores do hospital, com a permanência emergencial da atual OSS até que o chamamento regular esteja concluído. A SES já está com chamamento regular para a gestão do Hugo, que deve seguir o trâmite a partir da próxima semana, após uma fase de análise jurídica da Procuradoria Setorial da SES. A pasta solicitou parecer jurídico sobre o impacto da reprovação de contas do ISG no contrato vigente com o Hospital de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT) e unidade anexa, o Ceap-Sol, com amplo direito de defesa da organização social.

Saúde cancela chamamento emergencial do Hugo