24 de julho de 2024
NotíciasPolíciaÚltimas

Grupo, que é de Goiás, é suspeito de praticar o golpe chamado de “falso boleto”, no Rio de Janeiro

Em uma ação conjunta, a Polícia Civil de Goiás e a Polícia Civil do Rio de Janeiro realizaram o cumprimento de quatro ordens de busca e apreensão em locais no interior de Goiás.
Uma organização em Goiás é suspeitas de ter realizado o golpe do “boleto falso”, causando um prejuízo de R$ 1,6 milhão a uma empresa no Rio de Janeiro. (Divulgação/Polícia Civil)

Uma operação conjunta realizada pela Polícia Civil de Goiás (PCGO) em colaboração com a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ) resultou no cumprimento de quatro mandatos de busca e apreensão contra três indivíduos nesta quarta-feira (30). O grupo originário de Goiás é suspeito de executar o golpe conhecido como “boleto falso” no Rio de Janeiro.

A investigação começou no Rio de Janeiro quando uma vítima descobriu ter efetuado um pagamento, por meio de sua empresa, utilizando um boleto falso no valor de R$ 1,6 milhão. Consequentemente, a PCGO, após minuciosas análises de informações de inteligência, tomou medidas para a emissão dos mandatos de busca e apreensão, atualmente cumpridas.

Os mandatos foram executados nas localidades de Vicentinópolis e Mairipotaba, situadas ao sul do estado de Goiás, além de Senador Canedo, que integram a Região Metropolitana de Goiânia. As diligências permaneceram em andamento conforme o PCGO, visto que há suspeitas de outras vítimas potenciais, dada a alegação de que o grupo estaria envolvido em práticas de estelionato em diferentes regiões do Brasil.

O delegado William Bretz, liderando o caso pela PCGO, informou que o grupo poderá enfrentar acusações de associação criminosa, estelionato e, se confirmado, lavagem de dinheiro. As investigações prosseguem com o intuito de esclarecer os detalhes dessas atividades criminosas.