20 de julho de 2024
EducaçãoPolíticaÚltimas

Greve dos Servidores Administrativos da Educação de Goiânia Persiste: Nova Assembleia Agendada

Na próxima segunda-feira, os funcionários administrativos em greve realizarão uma nova assembleia em frente ao Paço Municipal. O Sintego está buscando agendar uma audiência com o prefeito Rogério Cruz.

Os servidores administrativos da rede municipal de ensino de Goiânia permanecem em greve desde o início deste mês, e um novo desenvolvimento está programado para a próxima segunda-feira, dia 16, quando realizarão uma assembleia em frente ao Paço Municipal a partir das 9 horas. De acordo com um levantamento do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), a paralisação impactou pelo menos 147 unidades educacionais.

A Prefeitura de Goiânia emitiu uma nota, indicando sua intenção de retomar as negociações no início da próxima semana. No entanto, vale observar que o calendário escolar prevê uma pausa nas atividades nesta semana, devido aos feriados dedicados à Criança (12 de outubro) e ao Professor (15 de outubro). Este período, conhecido como “semana do saco cheio” no jargão estudantil, culminará com a retomada das atividades na segunda-feira, 16 de outubro, embora com algumas restrições.

A greve dos servidores administrativos afetou a operação de várias unidades educacionais, um exemplo notável sendo um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) na região Oeste da capital, onde apenas oito dos 14 grupos de crianças atendidos retornarão na segunda-feira. A diretora da escola, que preferiu manter o anonimato, afirmou que “com a justa greve dos administrativos, não estamos conseguindo atender todos.”

Os servidores da rede municipal de ensino de Goiânia estão em greve reivindicando igualdade no auxílio locomoção, o pagamento do reajuste da data-base de 2023 e a criação de um novo plano de carreira. O Sintego alega que até o momento a gestão municipal não apresentou propostas concretas aos trabalhadores, enquanto a Prefeitura de Goiânia destaca que já vem cumprindo mensalmente os direitos adquiridos pelos servidores, incluindo a criação de um auxílio locomoção de R$ 300 e o pagamento de três datas-base em atraso.

Após o início da greve em 2 de outubro, a administração municipal convocou 465 profissionais de educação aprovados no último concurso para reforçar o trabalho nas escolas, embora a nomeação não seja imediata. Os convocados têm um prazo de 30 dias para apresentar documentação e, após esse processo, caso atendam a todos os critérios, terão mais 30 dias para realizar exames e passar por uma perícia junto à Junta Médica do Município. A Prefeitura de Goiânia informou que uma comissão foi formada para reformular o plano de carreira dos servidores.

A presidente do Sintego e deputada estadual pelo PT, Bia de Lima, está buscando uma audiência com o prefeito Rogério Cruz e espera que ela ocorra até o final da semana, a fim de construir uma proposta que possa encerrar a greve. Ela tem buscado o apoio de diversas lideranças políticas que têm proximidade com o prefeito de Goiânia.

Um aspecto polêmico da greve tem sido o uso de servidores da Companhia Municipal de Urbanização (Comurg) e da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) para substituir os servidores grevistas e garantir a manutenção das unidades educacionais. Esse uso resultou em uma disputa judicial, na qual a Prefeitura de Goiânia obteve uma liminar contra o Sintego. A liminar, concedida pela juíza Ana Cláudia Veloso, proíbe o sindicato de distribuir panfletos e informações relacionadas ao uso dos servidores da Comurg e da Amma, sob pena de multa diária de R$ 10 mil. O Sintego recorreu, mas o desembargador Marcus da Costa Ferreira indeferiu a liminar pleiteada, observando que o uso dos servidores dessas entidades não tinha o propósito de substituir os grevistas.

Os 465 profissionais recentemente convocados têm 30 dias, contados a partir da data da convocação, para apresentar a documentação necessária. A lista dos convocados está disponível no site da Prefeitura de Goiânia, e aqueles que foram convocados devem agendar um horário para entregar a documentação no Atende Fácil do Paço Municipal. Esses convocados incluem 340 auxiliares de atividades educativas, 100 pedagogos e professores de diversas disciplinas.