12 de julho de 2024
EducaçãoNotíciasTecnologiaÚltimas

Foi inaugurado em Goiânia um HUB de inovação público pelo governo de Goiás.

Nesta quarta-feira (8), o governo de Goiás inaugurou o HUB Goiás, o primeiro HUB de inovação público na região Centro-Oeste, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (Sedi). O espaço, localizado no Setor Universitário, ao lado da Escola do Futuro em Artes Basileu França e próximo à Universidade Federal de Goiás (UFG) e à Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC), contou com um investimento de R$ 12,3 milhões. Destinado a atividades relacionadas ao empreendedorismo e inovação, o HUB Goiás tem como objetivo gerar novos negócios e fomentar a economia do estado. A localização foi estrategicamente escolhida para integrar governo, universidades, empresas e a sociedade civil em prol da inovação, criatividade e empreendedorismo. O secretário de Desenvolvimento e Inovação, Marcio Cesar Pereira, ressalta que o HUB de inovação oferece um espaço público de conexões para o desenvolvimento de redes colaborativas, capacitação, suporte ao empreendedorismo e networking, com o foco no acesso ao conhecimento, desenvolvimento de competências científicas, atração de investimentos e negócios.

O edifício tem uma área construída de mais de 2.000 metros quadrados, sendo dividido em três pavimentos e oferecendo coworking para startups e empresas parceiras de todos os tamanhos. Além disso, o espaço contará com áreas dedicadas a programas de inovação aberta, pré-aceleração, aceleração e incubação de startups, bem como espaços multifuncionais para realização de eventos, reuniões, capacitações e interação com os diversos públicos envolvidos no ecossistema de inovação.

Um edital de chamamento público foi aberto para selecionar uma Organização da Sociedade Civil (OSC) para gerir o HUB Goiás. Essa OSC será responsável por nove eixos estratégicos, que incluem a geração de inteligência de negócios, o desenvolvimento do ecossistema, a capacitação de talentos, o desenvolvimento de startups, a inovação aberta, o acesso ao capital, a gestão da comunidade, os negócios de impacto social e o fomento ao empreendedorismo e inovação. Cada eixo contém atividades específicas, como a realização de eventos para fortalecer o ecossistema de inovação, a capacitação de talentos por meio de palestras e workshops, a aceleração de empresas de base tecnológica e de impacto socioambiental, e a criação de fontes de financiamento e subvenção para a inovação.