22 de julho de 2024
EsporteNotíciasÚltimas

Compreenda os motivos por trás das divergências que impedem a união dos clubes para a formação de uma liga unificada.

Os contratos estabelecem que 40 equipes participem das duas divisões, mas tanto a Libra quanto a LFF não conseguem oferecer isso no momento. Na Futebol Forte, se não houver 100% de adesão dos times, o valor total do contrato cai para R$2,3 bilhões. A Libra propõe que 40% do dinheiro proveniente da venda dos direitos de televisão sejam distribuídos igualmente, 30% de acordo com o desempenho das equipes no campeonato e 30% baseado no engajamento das torcidas. Já a LFF propõe que 45% sejam distribuídos igualmente, 30% de acordo com o desempenho das equipes e 25% baseado no apelo comercial. A LFF discorda das métricas de engajamento de torcida, oferecidas pela Libra, e acredita que uma distribuição mais igualitária fará com que a liga brasileira seja uma das três mais fortes do mundo. A Libra acredita que as diferenças podem ser ajustadas mediante negociação e que a LFF cria uma cortina de fumaça. Dirigentes da Futebol Forte argumentam que a Libra precisa mudar seu estatuto antes de resolver as divergências. A Libra considera estranha a afirmação da LFF sobre a manipulação dos dados de pesquisa de torcida, pay-per-view, redes sociais e público nos estádios. A LFF quer que o dinheiro seja distribuído com base apenas na audiência média dos jogos das equipes nas transmissões de TV em uma equação que também leve em conta a quantidade de partidas exibidas. A diferença entre o time que mais arrecada e o que menos recebe pelos direitos de transmissão é outra disputa entre os grupos, com a LFF exigindo que a diferença caia para pelo menos 3,5 vezes. A Libra afirma que isso pode ser resolvido com negociação e que a diferença proposta pelo grupo é de 3,9 vezes. A LFF e a Libra propõem períodos de transição entre os modelos, mas de maneiras diferentes. A Libra propõe que, entre 2025 e 2029, nenhum clube receba menos do que o valor previsto para 2024, com garantia mínima de pay-per-view. A LFF concorda em não reduzir os ganhos durante os anos de transição, mas exclui a performance passada e a garantia mínima de pay-per-view da conta. Os 18 clubes que fazem parte da Libra são: Bahia, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Guarani, Ituano, Mirassol, Novorizontino, Palmeiras, Ponte Preta, Red Bull Bragantino, Sampaio Corrêa, Santos, São Paulo, Vasco e Vitória.


VEJA OS 26 CLUBES QUE FAZEM PARTE DA LFF: ABC (RN), Athletico, Atlético Mineiro, América-MG, Atlético-GO, Avaí (SC), Brusque (SC), Chapecoense (SC), Coritiba (PR), Ceará, Criciúma (SC), CRB (AL), CSA (AL), Cuiabá (MT), Figueirense (SC), Fluminense (RJ), Fortaleza (CE), Goiás, Internacional (RS), Juventude (RS), Londrina (PR), Náutico (PE), Operário (PR), Sport (PE), Vila Nova e Tombense.