24 de julho de 2024
NotíciasÚltimas

Barragem em Anápolis tem rompimento segundo a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad)

No último sábado (17), ocorreu o rompimento de uma barragem em Anápolis, no Centro de Goiás, afetando o fornecimento de água na cidade.

A barragem estava localizada em uma propriedade rural acima do ponto de captação da Saneago no Sistema Piancó I. A captação de água do rio foi interrompida por 12 horas, impactando o abastecimento nos bairros atendidos pelo sistema. Durante o dia, equipes da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) realizaram manobras na rede para minimizar os efeitos no abastecimento, e um caminhão-pipa reforçou o abastecimento nos reservatórios da Saneago.

Segundo a Saneago, cerca de 95% do Sistema Piancó I já foi restabelecido, restando apenas a normalização de dois Centros de Reservação: Aeroporto e Bairro de Lourdes. Esses centros abrangem 19 bairros, incluindo Anápolis City, Bairro de Lourdes, Bairro Jóquei Clube, Chácaras Americanas, Jardim Europa, Jardim Palmares, Loteamento Novo Jundiaí, Parque Brasília, Parque Residencial Ander, Residencial Conquista, Setor Tropical, Vila João XXIII, Campos Elísios, Jardim Planalto, Jardim Vera Cruz, Residencial Gabriela, Residencial Galdi, Residencial Boa Esperança e Setor Industrial Aeroporto.

A expectativa é que a situação seja normalizada até o final deste domingo. Até lá, a Saneago solicita a compreensão da população e o uso consciente de suas reservas de água nos reservatórios domiciliares até que o sistema seja completamente restabelecido.

De acordo com Robson Disarz, subsecretário de Licenciamento, Fiscalização e Controle Ambiental da Semad, a barragem sofreu a perda de parte do talude da jusante, que é a inclinação que sustenta o solo, devido às chuvas ocorridas em dezembro do ano passado e em março deste ano. Ele afirma que há dez dias foi realizada uma obra para reconstruir essa estrutura e melhorar os extravasores, porém, sem a supervisão de um profissional qualificado. Segundo Disarz, a barragem não possuía licença e o proprietário não a incluiu no Sistema Estadual de Segurança de Barragens.

A barragem em questão possui uma lâmina d’água de 0,77 hectares e não possuía licença ambiental emitida pela Semad, tampouco estava cadastrada no Sistema de Cadastro de Barragens do Governo de Goiás. Assim que as equipes da Semad foram informadas, elas se dirigiram ao local, verificaram e avaliaram os danos ambientais causados pelo rompimento, e tomarão as medidas administrativas necessárias.

Conforme a Semad, Goiás possui mais de 40 mil barragens com uma área de pelo menos 2 mil metros quadrados de lâmina d’água. No entanto, apenas 7 mil estão devidamente cadastradas. A Semad informou que vem conduzindo uma campanha há meses para conscientizar os proprietários de barragens em Goiás sobre a importância de regularizar seus empreendimentos e cadastrá-los no Sistema Estadual de Segurança de Barragens. O prazo para realizar o cadastramento sem a aplicação de multas se encerra em outubro deste ano.

Com o objetivo de promover a segurança das barragens em Goiás, a Semad tem realizado uma campanha de conscientização nos últimos meses, visando mobilizar e sensibilizar os proprietários de barragens a regularizarem seus empreendimentos e cadastrá-los no Sistema Estadual de Segurança de Barragens (Seisb). É importante destacar que o prazo para realizar o cadastramento sem a incidência de multas encerra em outubro deste ano.

Dados de monitoramento remoto revelam a existência de mais de 40 mil barragens no Estado, com uma área mínima de dois mil metros quadrados de lâmina d’água. No entanto, apenas cerca de sete mil dessas barragens estão registradas no Seisb, indicando a necessidade de um maior engajamento por parte dos proprietários para garantir a regularização e a segurança dessas estruturas.