12 de julho de 2024
NotíciasPolíciaÚltimas

A perícia revelou que o apartamento onde a criança caiu passou por reformas que retiraram as grades da janela.

A queda ocorreu de uma altura aproximada de 30 metros.

O apartamento onde um menino de seis anos caiu na tarde desta quarta-feira (29) não possuía grades ou redes de proteção nas janelas, pois foram removidas durante uma reforma recente, conforme indicado pelo perito Hugo Lincoln da Polícia Técnica Científica. A avó do menino, que reside no nono andar da Vila dos Alpes, em Goiânia, confirmou à perícia que a queda ocorreu em um momento de desatenção, e ela não testemunhou o incidente. O menino faleceu ao cair de um dos quartos do nono andar, a uma altura de 29 metros.

O perito Hugo ressaltou que, em situações como essa, a perícia visa verificar se há sinais de violência que possam ter antecipado a queda, analisando tanto o corpo quanto o ambiente. O laudo, segundo o perito, deve ser concluído em aproximadamente 10 dias, enquanto as investigações serão conduzidas pela Polícia Civil (PC).

O perito também enfatizou o perigo da ausência de proteção. “Quem mora em apartamento deve tomar certos cuidados, como ter janelas com proteções e guarda-corpo”, alertou Hugo.

Relembrando o caso, a avó relatou que estava com o neto no apartamento, e a criança solícita desce ao 4º andar, onde reside a mãe. No entanto, ela não permitiu, alegando que o menino havia acabado de almoçar e não poderia ir naquele momento. Pouco depois, a criança adentrou um dos quartos e caiu da janela desprotegida, resultando em uma queda de aproximadamente 29 metros, conforme constatado pela perícia.

O menino, cujo nome não foi divulgado, completaria sete anos em dezembro e deixa para trás pai, mãe, avó, um irmão gêmeo e outro mais velho.