24 de julho de 2024
EducaçãoÚltimas

Estudo revela: Direito lidera matrículas em faculdades privadas e Medicina em instituições públicas de Goiás

Goiás se destaca com maior número de alunos ingressantes no ensino superior presencial e a distância do Centro-Oeste, aponta estudo

(Divulgação/Guia do Estudante)

De acordo com a 13ª edição do Mapa do Ensino Superior no Brasil, um estudo realizado pelo Instituto Semesp, que representa mantenedoras de ensino superior do Brasil, é possível observar que o curso de Direito é o mais procurado em faculdades privadas, enquanto Medicina é o mais escolhido nas instituições públicas em Goiás, na modalidade presencial.

Os dados da pesquisa revelam um panorama do ensino superior no Brasil, especificamente em relação a Goiás. Nesse estado, o maior número de alunos ingressantes no ensino superior presencial e a distância é registrado, superando as demais regiões do Centro-Oeste.

Em Goiás, 76,9% dos estudantes optam por instituições de ensino privadas. A rede privada concentra 96,2% das matrículas em cursos na modalidade a distância (EAD), enquanto nos cursos presenciais esse índice é de 64,1%.

Na rede privada também se concentra a maior taxa de desistência. São 57,7% contra 46,4% da rede pública. Contudo, 76,6% dos concluintes estão no ensino particular. Os cursos mais buscados na rede privada são Direito, Psicologia e Enfermagem, na modalidade
presencial, e Pedagogia, Administração e Contabilidade no EAD.

Cursos presenciais mais procurados (Fonte: Instituto Semesp | Base: INEP)

No âmbito das instituições públicas, os cursos mais procurados pelos estudantes em Goiás, na modalidade presencial, são Medicina, Agronomia e Direito. Essas áreas despertam grande interesse e atraem um número significativo de alunos nas universidades públicas do estado.

Cursos EAD mais procurados (Fonte: Instituto Semesp | Base: INEP)

De acordo com o estudo realizado pelo Semesp, levando em consideração dados de 2021 e os impactos da pandemia da Covid-19, foi observada uma queda de 4,5% nas matrículas em cursos presenciais na rede pública e de 6,4% na rede privada, comparando os anos de 2020 e 2021.

No entanto, o estudo apontou um crescimento significativo de 19,7% nas matrículas na modalidade de ensino a distância (EAD). Entre os anos de 2015 e 2021, houve um aumento de 167% no número de alunos ingressantes nessa modalidade.

Além disso, enquanto as matrículas em cursos presenciais registraram uma queda de 11,1% entre alunos com até 24 anos, houve um crescimento de 15,6% na faixa etária acima de 60 anos. Por outro lado, no EAD, todas as faixas etárias apresentaram um aumento expressivo nas matrículas ao longo da última década.

Esses dados revelam as transformações ocorridas no ensino superior, impulsionadas pela pandemia e pela crescente oferta de cursos na modalidade EAD, que tem atraído estudantes de diferentes faixas etárias.