20 de julho de 2024
NotíciasPolíciaÚltimas

Codego oferece incentivo financeiro para outras empresas contratarem pessoas que foram previamente encarceradas.

No mês passado, o Conselho de Administração da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) aprovou uma alteração no Regulamento de Alienação de Áreas da Companhia para incluir um novo fator de desconto no valor das áreas nos distritos agroindustriais administrados pela empresa estatal.

Empresas que se instalarem nos polos industriais administrados pelo Estado e comprovarem a contratação de mão de obra formada por pessoas presas ou egressas do sistema prisional terão um desconto de 10% no valor da aquisição da área. A medida faz parte de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Companhia, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) e a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) para transferência da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e criação de um novo polo no município, o Distrito Agroindustrial Norberto Teixeira (Dianot).

O novo desconto vale para todos os distritos da Companhia. Empresas que cumprirem os critérios estabelecidos no regulamento da Codego, como pontualidade com as obrigações tributárias estaduais e geração de emprego, podem ter descontos que acumulados podem chegar a 90% no valor das áreas. A Codego investirá R$ 130 milhões na construção do polo industrial do Dianot, que oferecerá infraestrutura completa para o pleno funcionamento das empresas.